Pratique Yoga

Fez 2 anos que pratico Yoga. A Yoga chegou a minha vida de repente, um presente. Desde sempre praticava esportes, antes de chegar a Yoga eu estava nadando e fazendo musculação. Então eu sempre estava trabalhando o corpo. Anteriormente, um médico ortopedista havia me indicado Yoga direcionada à melhoria da minha coluna. Não dei ouvidos na época. Eu, acelerada do jeito que era como iria conseguir meditar? Pensei: “Sem chances”. Mas, nem sabia ao certo como era a prática.

Aos 29 anos passei por crises de ansiedade. Um momento emocional difícil e forte. Nunca tinha me sentido daquele jeito. Percebi que eu não estava bem e em poucos dias procurei uma psicóloga que já conhecia, comecei a fazer terapia, fiz por 10 meses. Voltei a fazer acupuntura, desta vez não para a coluna, mas para ansiedade e decidi procurar a Yoga.

Lembro que a primeira aula eu simplesmente relaxei tanto que apaguei. Isso mesmo, dormi no “shavásana”, a ponto da professora ter que me acordar. Senti-me muito bem, e a primeira coisa que eu observei nas primeiras práticas é que eu não sabia respirar direito. Isso mesmo cheguei aos 29 anos sem saber Respirar (bem básico né? e veja bem, eu fiz uma década de natação). Sabe aquele ditado: “Respira e não pira”. É isso. Regra número um da existência: Respira. Sempre é bom lembrar esta regra.

Pois bem, mais uma vez, constatei nesta vida que: não sei de nada. Esta também é uma regra que é bom que nos lembremos. A cada prática, descobertas. Consegui chegar ao lugar de observador de mim. Apenas respirar e observar. E lembrar-se disso. Sim, havia um lugar dentro de mim que eu poderia ser apenas um observador da mente, sem julgamentos. Haveria lugares dentro da mente? Pois é.  Também havia músculos em meu corpo jamais trabalhados, ou, que nunca senti serem trabalhados (e olhe que eu nunca fui sedentária). Sim, existe força em cada molécula nossa. Havia um recado pra si em tudo aquilo: É preciso estrutura e espaço. Já estudava Einstein a relatividade do tempo e espaço. E então digamos que surgiu a regra número 3: É preciso despertar. Havia a cada prática um novo Eu sendo desvelado. Como poderia? Uma certeza vibrou dentro de mim, isto é uma ciência divina.

Poderia eu criar espaços internos? Sim. Poderia direcionar minha respiração para algo que eu identificasse que deveria ser trabalhado internamente? Sim. Um mundo novo se abriu. Um mundo interior. O universo. Existem “asanas” (posturas) que trabalham cada necessidade. Existe o “Pranayama”.  Abriria-se o livro do meu ser para que eu lesse. E eu estava sentido no físico, mental e espiritual. É como dizem: Virou uma chave. No Yoga estou aprendendo a me acolher. Estou aprendendo, por que a caminhada é longa para ser inteiro. Estar inteiramente no presente é um desafio.

Sete meses após iniciar a Yoga eu descobri que estava grávida. E continuei a prática. Assisti a transformação do meu corpo por 9 meses, senti com intensidade cada mudança no corpo. Criando assim espaços internos para receber um ser. Ter vivido isto é um presente que recebi e sou grata. Aprender a respirar me auxiliou a parir. Conhecer os meus limites profundamente e expandir-se devagarinho. Sentir que há lugares e espaços internos que eu preciso conhecer e respeitar, e que eu preciso expandir. Isso me move a continuar seguindo buscando o autoconhecimento. Parar para se observar a cada prática é um presente. Aprendi que a crise realmente é uma oportunidade. Se eu não tivesse atravessado a crise, não teria vivido tantas descobertas e nem conhecido as pessoas que encontrei no caminho.

De Yoga eu sei quase nada, de mim estou conhecendo. Mas se eu pudesse dizer algo para você fazer mesmo sem te conhecer eu diria: Pratique Yoga.

“A verdadeira liberdade está na unidade. Eu preciso deixar de me sentir diferente dos outros. Cultivar o amor. O amor reaproxima, vence a distância e a ignorância” (Professor Hermógenes).

Om…

DSC_0458

Fotografia registrada em São Lourenço – MG, no Parque das Águas, grávida de cinco meses.

Anúncios

2 comentários em “Pratique Yoga

  1. Estar no aqui e agora é uma das dificuldades nesse mundo de urgências que vivemos. Sem respirar morremos e passamos a vida sem saber fazer isso direito. Então, saúdo você que consegue perceber que a existência passa num estalo. O que já foi dito por Kafka e por Fernando Pessoa eu repito: Sê inteiro em tudo que faz. E que ao longo dos dias a gente consiga juntar os pedaços desatentos de nós e respirar fundo.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Aii Amiga amei o post… vou comecar a fazer duas vezes por semana a partir do ano que vem.. necessidade.. tambem tive que chegar a quase enlouquecer para dar atencao a todos e a mim mesma que preciso me acalmar, diminuir a aisiedade, aprender a controlar os sentimentos pela respiraçao e sim, aprender mais do que tudo a RESPIRAR… só quem ja passou por crises de ansiedade irá entender ;-). Parabens por mais um post lindo beijinho.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s